A sua cadeira, arquiteto.

  Por Guilherme Pena

É comum ouvirmos sobre a relação entre grandes arquitetos e o design de mobiliário, mais especificamente no design de cadeiras. Ao longo do tempo, muitos projetaram cadeiras como forma de extensão de sua arquitetura, algumas ganhando reconhecimento internacional como ícones do design.    Estas cadeiras tornaram-se clássicas e estão sendo amplamente utilizadas nos projetos de interiores.

   Grandes mestres internacionais da arquitetura como Frank Lloyd Wright e Le Corbusier se imortalizaram através do design, projetando cadeiras que dialogassem com a arquitetura praticada por eles, e muitas vezes, compondo a ambientação desta. Mas aqui vamos exaltar a “prata da casa”, igualmente premiados e respeitados os arquitetos brasileiros tem um lugar  de destaque merecido no cenário do design mobiliário mundial.

   Ter uma cadeira assinada por estes grandes nomes eleva o objeto de sua simples função para uma escultura de design valiosa. Seja pelo desenho único, seja pelo autor ou seja pela história que estas peças trazem durante anos de respeito e reconhecimento.

   Aqui uma pequena seleção de cadeiras e poltronas de alguns arquitetos  que estão presentes até hoje nos projetos de interiores. Imagino que de repente já até tenha esbarrado em alguma delas por aí…

Oscar Niemeyer

   Além de ter contribuído com a modernização da arquitetura em várias partes do mundo, Niemeyer também teve sua notoriedade no setor moveleiro e da decoração. Pelo reconhecimento de seu trabalho, foi homenageado no 41º Salão Internacional do Móvel de Milão, na Itália, edição 2002. A indústria italiana Poltrona Frau criou, em seu estande, uma parte que reverenciava o seu papel no mundo do design.

   Uma de suas principais criações é a “Chaise-longue” Rio, de 1978, desenvolvida em conjunto com sua filha, Anna Maria Niemeyer.

Sérgio Rodrigues

   No final dos anos 40, ainda na faculdade de Arquitetura no Rio de Janeiro, percebeu que a arquitetura brasileira vivia um grande momento. Faltava ao mobiliário a mesma identidade nacional que a arquitetura havia conquistado.    Sergio Rodrigues desenvolveu uma ampla experiência de produção, procurando pensar o Brasil pelo design.

   Em 1955, fundou, em Ipanema, a Oca, marca que, por duas décadas, foi referência de móvel moderno no Brasil. Buscando uma linguagem própria, ele lançou mão de materiais tradicionais, como couro, palhinha e o jacarandá.

Desenhada recentemente em 2002 a Poltrona Diz foi escolhida por unanimidade pelo júri do Museu da Casa Brasileira, e levou o 1° lugar da 20° Edição do Prêmio Design.

Paulo Mendes da Rocha

   Ganhador do Prêmio Pritzker de Arquitetura do ano de 2006, considerado o correspondente a um Nobel, honraria mundial concedida, antes  a apenas mais um brasileiro, Oscar Niemeyer.

   O arquiteto assina uma das peças mais icônicas do design mobiliário brasileiro a Poltrona Paulistano. Criada em 1975, em uma estrutura feita da liga especial de aço-mola, esta tem apenas um ponto de solda. Na época foi recoberta em couro, porém hoje foi “redescoberta” e recebe uma infinidade de acabamentos.

  

Lina Bo Bardi

   Uma das arquitetas mais conceituadas de nossa terra, (vide Sesc Pompéia-São Paulo) Lina, cansada do design oferecido pelo mercado da época desenhou em 1987, em parceria com os arquitetos Marcelo Ferraz e Marcelo Suzuki, a Cadeira Girafa.

ENTRE NA REDE FATO!