Ano Novo?
Michel Pires

Michel Pires. Diretor da Modecor; Vice-Presidente do Intersind. mhp@modecor.com.br

Começamos 2017, novo ano, novos ares, novos pensamentos, tudo novo… Será? O que muda não é apenas a data no calendário ou as estações do ano? Afinal, o mês de janeiro é só o mês depois de dezembro. Contas a vencer, prestações a pagar e enormes desafios todos os dias. O que se transforma de verdade são as esperanças… Esperança de uma economia mais ativa, de um Brasil melhor, mais justo e mais honesto. Esperanças na vida de cada um.

Estamos vivendo num espírito patriotista que, de certa forma, nunca vivemos. Ele se acende como um fogo de palha, forte logo no inicio e se espalha, mas dura pouco. Aflora quando vemos ou lemos uma entrevista sobre corrupção, prisão ou afastamento de alguém que ocupa um cargo importante na política, quando vamos às ruas de verde e amarelo protestar, mas morre no outro dia ao retornarmos à nossa vida cotidiana, cada um cuidando dos seus problemas e deixando os do país para outros cuidarem.

Vários brasileiros têm a sensação de que suas atitudes não farão diferença, tanto as positivas quanto as negativas. Eles acham que são muito pequenos para mudar o Brasil. Porém, se todos pensarem assim levará muito tempo para conseguirmos ser uma nação respeitada e honesta como todos sonham.

Com o Legislativo e o STF em recesso em Brasília acalmaram-se os ânimos, apesar da Policia Federal continuar trabalhando, principalmente na delação premiada da Odebrecht que promete mexer com muitos políticos influentes no Brasil. Este pode ser nosso divisor de águas, ou melhor, já tem sido, pois tempos atrás não podíamos pensar que donos de grandes empresas como a Odebrecht poderiam ser presos e permanecer presos por tanto tempo. Antes se falava que cadeia era para os pobres, mas agora mudou. E que continue mudando.

O pacotinho do governo começou a fazer efeito. Parece que a economia esta sendo estimulada novamente, mas ainda longe do ideal. A aprovação da PEC dos gastos pode trazer mais tranquilidade ao governo. Com isso, novos incentivos serão concedidos, pois o que precisamos é aumentar o faturamento das empresas, ou seja, circular o dinheiro, e gerar mais impostos e mais empregos. Mas é preciso fazer de forma honesta e não como era feito, privilegiando alguns setores a troco de vantagens indevidas e levando gente para a cadeia. Acredito que essa mudança será benéfica para o Brasil, pois qualquer um que quiser levar vantagem agora vai pensar duas vezes antes de pedir ou oferecer algo em troca.

Tenho o sonho de ver nosso país, com toda a riqueza, extensão e tudo de bom que temos, como um lugar ideal para se morar e não para sair daqui. Que possamos ter qualidade de vida, saúde, educação, segurança. Com o governo gerindo melhor o dinheiro, acabando as propinas e corrupção (acho difícil acabar, mas diminuindo já ajudaria muito), poderemos baixar impostos, comprar alimentos, eletrodomésticos, carros, motos, qualquer coisa pelo preço que outros países vendem. Hoje pagamos no mínimo o dobro do valor e os salários são a metade. Nosso poder de compra é muito baixo em relação a países com estrutura menor. Enquanto isso nós vamos sonhando e “lutando” pelas melhorias.

ENTRE NA REDE FATO!