Incêndio em casarão histórico de Ubá continua sem explicação

Por Higor Siqueira

O Incêndio Aconteceu Na Sexta-Feira, 07 De Novembro, Por Volta Das 17h00. Foto: Edna Abreu

O Incêndio Aconteceu Na Sexta-Feira, 07 De Novembro, Por Volta Das 17h00. Foto: Edna Abreu

Um casarão histórico, situado na Av. Raul Soares, número 345, em frente ao campo do Aymorés, foi misteriosamente incendiado no final da tarde da última sexta-feira (7). O imóvel é pertencente aos herdeiros do falecido médico e ex-prefeito da cidade de Ubá (nos anos de 1951 a 1955) Jacinto Soares de Souza Lima. O casarão estava desabitado há um tempo, recebendo apenas visitas periódicas de um zelador – mas na hora do incêndio não havia ninguém presente, sendo assim não houve vítimas.

Segundo informações do Presidente do Patrimônio Histórico de Ubá, Francisco Marino de Azevedo, os motivos que iniciaram o incêndio ainda são desconhecidos, uma vez que a perícia não terminou de realizar suas analises no local. Ainda segundo ele, o casarão estava completamente mobiliado com objetos clássicos e antigos, mas infelizmente tudo foi consumido pelas chamas. Aproximadamente 35 mil litros de água foram utilizados para cessar o fogo.

Não se sabe o que acontecerá com o imóvel e nem o que os donos do endereço farão inicialmente. Uma avaliação com um engenheiro civil será realizada após a liberação do

Aproximadamente 35 Mil Litros De Água Foram Utilizados Para Cessar O Fogo. Foto: Juliana Campos

Aproximadamente 35 Mil Litros De Água Foram Utilizados Para Cessar O Fogo. Foto: Juliana Campos

espaço pela pericia, e com os resultados será possível dar um destino para o casarão. Especula-se que o incêndio teria alguma ligação com o fato de o lote ser muito cobiçado por investidores que compram imóveis antigos e desabitados para elevar construções e prédios no lugar, mas não há nada confirmado sobre o assunto.

Em nota oficial, o prefeito Vadinho Baião declarou sua insatisfação pelo acontecimento, dizendo que “É lamentável o que ocorreu, principalmente por ser um imóvel com características culturais, arquitetônicas e históricas, além de ser inventariado pelo Conselho do Patrimônio em nossa cidade”.

ENTRE NA REDE FATO!