O álbum da Copa 2014
EDUCATIVO, COM CONTEÚDO E INFORMAÇÕES, OS ÁLBUNS SÃO A NOVA FEBRE PRÉ COPA COLABORANDO PARA INTERATIVIDADE DE JOVENS, ADULTOS E CRIANÇAS

Por Higor Siqueira

Fotos: Arquivo Pessoal / Divulgação

Em meio a todos os preparativos para a Copa do Mundo 2014 não podemos nos esquecer do famoso álbum de figurinhas que já é história nos campeonatos que acontecem de quatro em quatro anos. Composto por 650 figurinhas que completam a coleção, o material tem batido recordes em vendas: foram vendidos cerca de 5 milhões de exemplares para a Copa na África do Sul e agora aproximadamente 8,5 milhões para a edição brasileira do evento.

Marília ajudou sua filha Aissa a completar seu álbum.

Marília ajudou sua filha Aissa a completar seu álbum.

As figurinhas trazem fotos dos jogadores e dos técnicos de todas as seleções, imagens dos estádios onde os jogos serão realizados e diversos tipos de símbolos do Mundial. O álbum traz ainda informações sobre cada imagem reproduzida pelas figurinhas, o que o torna bastante educativo.
Os colecionadores não têm sexo e nem idade definida, são os mais variados, nos mais diversos casos. Marília Domitila Rinco (29), por exemplo, auxilia sua filha Aissa (6) na coleção: “Começou no colégio quando vimos os coleguinhas da Aissa colecionando também. Compramos o álbum e estamos tentando completá-lo”. Marília conta que o hobby surgiu do desejo de ver sua filha completando o material e disse que desde então tem a ajudado. “Ele é muito bem montado, dividido pelas seleções de cada país e é muito educativo porque as crianças podem aprender muito com as informações” diz Marília.
Encontros para a troca de figurinhas repetidas estão sendo organizados por todo o Brasil. Em Ubá, há um encontro marcado para todos os finais de semana na Praça São Januário, onde os colecionadores podem interagir de diversas formas uns com os outros.
Para Marília, esses encontros são muito interessantes, pois há um contato direto entre os presentes, colecionador com colecionador. Essa interação é muito positiva para as crianças, por exemplo, pois isso rebusca o valor do contato afetivo que tem sido esquecido e deixado de lado com o passar dos anos e o desenvolver de novas atividades infanto-juvenis.
“Dessa forma as crianças estão deixando um pouco os eletrônicos de lado, tendo mais proximidade umas com as outras, o que é uma opção bem mais saudável” ressalta.
Felipe Assis de Oliveira (31) é também um colecionador das famosas figurinhas. Essa não é a primeira vez que ele compra o álbum e tenta completar a coleção. “Tudo começou quando eu ainda era criança. Era ‘febre’ nas escolas”.
Felipe conta que a sua primeira coleção das figurinhas foi na Copa de 1994 nos Estados Unidos. “É um hobby divertido e interessante para acompanhar a Copa e saber sobre seus participantes”.
O álbum é produzido pela Panini e pode-se encontrar em bancas de jornal e revista, lojas especializadas e até pela internet. Cada pacotinho custa R$1,00 e vem com cinco cromos. “É um hobby saudável, de baixo custo e muito divertido!” diz Felipe. Segundo ele, a maior recompensa é completar o álbum, mesmo que isso ainda esteja longe de acontecer: Felipe tem aproximadamente 30 figurinhas, mas diz que pretende ter mais em breve.

A vovó Ângela ajudou seus dois netinhos na coleção Álbum da Copa 2014. Entusiasmada com o envolvimento dos netos, ajudou também mais dois conhecidos a completarem seus álbuns.

A vovó Ângela ajudou seus dois netinhos na coleção Álbum da Copa 2014. Entusiasmada com o envolvimento dos netos, ajudou também mais dois conhecidos a completarem seus álbuns.

O Delegado, Dr. Felipe Assis é colecionador dos álbuns da Copa desde 1994.

O Delegado, Dr. Felipe Assis é colecionador dos álbuns da Copa desde 1994.

Ângela Moreira (61) ajuda os seus netos a colecionarem também. “Tudo começou com o meu filho Rodrigo, tio desses meus dois netinhos de cinco anos. Foi ele quem os presenteou com o álbum”. Ela também conta que eles estão apaixonados com a coleção e ficam mais empolgados ainda com a ajuda da vovó. “Eu moro em Visconde do Rio Branco e cuido de uma netinha minha aqui em Ubá que é recém-nascida e aproveito pra ficar trocando figurinha para os outros nas horas vagas!” ela diz aos risos.

“Esse álbum integra as pessoas, faz elas se socializarem. A gente conhece novas pessoas, troca as informações das figurinhas. Eu acho que é bastante interativo”. Ângela ainda ressalta que isso ajuda no seu relacionamento com os netos e na socialização para com as demais pessoas: “A gente faz amizades através de um simples passatempo”.
Completar o álbum é o desejo de todos os colecionadores. Ângela já completou quatro – sim, quatro álbuns. “Dois dos meus netinhos e dois de uns amigos meus”.
A febre do sucesso tem gerado uma grande movimentação dessas figurinhas, aumentando cada vez mais a sua popularidade.
“A gente compra o álbum e anota numa folha as figurinhas que faltam e levamos as figurinhas repetidas para os encontros. Chegando lá, nós mostramos as figurinhas repetidas para os demais colecionadores e é aí que acontece a troca “elas por elas”. Nós não fazemos comércio com as figurinhas, trocamos por igual” explica.
“Eu tenho 61 anos, mas muita gente coleciona. Tem criança, tem adulto, tem avós, é pra todas as idades” finaliza satisfeita.

ENTRE NA REDE FATO!