O que os ubaenses esperam da nossa seleção depois das oitavas de final?

Por Juliana Campos

Maria Laura Calçado, Estudante, 17 anos.

Maria Laura Calçado, Estudante, 17 anos.

O Brasil eliminou o Chile nos pênaltis em uma partida dificílima e que fez brasileiros e chilenos se emocionarem ao saírem de campo. Uns, de felicidade. Outros, de tristeza.

A seleção brasileira passou para a próxima fase, mas é notório que precisamos evoluir muito dentro de campo. Ontem, depois daquela partida, muitos brasileiros devem ter explorado frases do tipo: “Deus é brasileiro”, “Ganhamos na raça”, “Nem sempre o melhor time é o que vence o campeonato” e o tradicional grito de guerra que está presente nos estádios, barzinhos, concentrações, residências e demais locais que tenha uma televisão que exiba nossa seleção em campo: O CAMPEÃO VOLTOU.

Pedro Paulo Zague, Jornalista.

Pedro Paulo Zague, Jornalista.

Tivemos um primeiro tempo equilibrado, embora o Chile tenha feito um bom trabalho. Muitas faltas. Uma seleção em campo nervosa. O compromisso era grande, jogando em casa e com a torcida apoiando e também, pressionando. Até que o primeiro gol em cima do time adversário aconteceu e nos fez respirar, um pouquinho.

Por falta de atenção, o Chile empatou o jogo e foi sofrimento até os pênaltis. Uma arbitragem ineficiente e dificultosa. Um segundo tempo sem seleção em campo e pior, sem a desenvoltura da nossa estrela, Neymar Júnior.

Final de segundo tempo e prorrogação. Júlio César, Thiago Silva, pediam o apoio da torcida que já estava sem esperança. Dois tempos de prorrogação com um Brasil melhor em campo e a torcida apoiando. Hulk tentava, chutava… mas não tinha jeito. A bola não entrava.

Antônio Cesar, Jornalista, 29 anos.

Antônio Cesar, Jornalista, 29 anos.

Aos 17 minutos da prorrogação, no segundo tempo, o time adversário chuta na travessão e fez um teste cardíaco com os milhares de brasileiros que estavam assistindo o jogo.

Finalmente, os pênaltis. Uma mistura de medo, ansiedade, preocupação, responsabilidade, emoção… e que emoção. Mas Júlio Cesar fez as honras do nosso bom futebol e com sua concentração e trabalho em equipe levou nossa seleção para as quartas de final deste mundial disputado em casa.

Ao conversar com alguns conterrâneos, dos mais diversos segmentos, sexo e idade, pudemos chegar em um denominador comum.

Para o Engenheiro de 26 anos, Sylvio de Andrade, o jogo de ontem foi um dos mais difíceis que a seleção irá enfrentar durante essa copa. “O time não jogou bem. Entretanto, possuímos uma defesa muito boa composta por Thiago Silva, David Luiz e principalmente, Júlio Cesar, que nos impediu de uma eliminação precoce. Somado a isso, tivemos uma arbitragem dura que favoreceu diversas vezes ao time chileno” pontua.

Sylvio declara que tudo isso foi um aprendizado para que nossa seleção possa crescer ainda mais e estar preparada para as quartas,

Lucimar Silva, Jornalista, 32 anos.

Lucimar Silva, Jornalista, 32 anos.

semi e final. “E que venha o hexa” enfatiza.

De acordo com a Secretária Meriélen Rodrigues, de 29 anos, o Chile entrou em campo com mais garra que o Brasil: “Mas como fomos muito roubados e humilhados para que a copa acontecesse aqui, Deus foi literalmente Brasileiro e olhou por nós”.

Já a estudante e pré vestibulanda Maria Laura Calçado, de 17 anos aponta que a nossa seleção está apática, sem entusiasmo e entrosamento. “O jogo foi um sufoco. Demos muita abertura para nossos adversários. Mas a arbitragem também não ajudou e nos levou a prorrogação e posteriormente a sofrida disputa dos pênaltis”.

Para a Jornalista de 32 anos, Lucimar Silva, pra quem gosta de emoção, o jogo de ontem foi um prato cheio: “Passamos um sufoco que acho nunca ser esperado pelos brasileiros. Tendemos a querer que o Brasil domine as partidas, o que não foi o caso desta disputa, tendo em vista que o Chile não deu descanso” declara.

Sylvio de Andrade, Engenheiro, 26 anos.

Sylvio de Andrade, Engenheiro, 26 anos.

Lucimar ainda pontua que embora a arbitragem tenha prejudicado a seleção, por outro lado, “(…) isso serviu para desmistificar essa crença incômoda de muitos, que não é o meu caso, de que a copa foi comprada, o que eu considero uma grande bobagem” finaliza.

Segundo Antônio Cesar, Jornalista, de 29 anos, a seleção deixou muito a desejar. “Vimos o Chile virar o jogo e nosso time ficou olhando desconcertado sem concluir nenhuma jogada. Acredito que vencemos nos pênaltis por sorte. Por se tratar da seleção penta campeã, não podemos ficar dependendo de jogador A ou B, nosso time tem que ter entrosamento, pois se não, o hexa vai ficar pra próxima. E, obrigado Julio Cesar” declara.

O também jornalista, formador de opinião, Pedro Paulo Zague afirma que o Brasil enfrentou um adversário terrível. A pressão de ter que vencer essa copa a qualquer custo… acho que é isso que tem feito com que o time fique tão nervoso e perdido em campo. “Eu acompanho futebol há muito tempo e fiquei angustiado durante toda a partida, acho que como milhões de brasileiros senti várias vezes durante o jogo que o sonho acabaria ali”.

Pedro relata que o mais bacana é que alguns vizinhos que assistiam ao jogo em  terraços ao lado de sua casa tinham um atraso

Meriélen Rodrigues, Secretária, 29 anos.

Meriélen Rodrigues, Secretária, 29 anos.

enorme no sinal do satélite, segundos depois dava pra ver a reação de cada um e como o povo Brasileiro leva futebol a sério. “Júlio César não me passa muita confiança. Mas sempre foi um grande pegador de pênaltis. Graças a ele estamos nas quartas. Que esse aperto todo sirva para a Seleção ver que precisa deixar o nervosismo de lado e jogar o que sabe, mostrou isso na Copa das Confederações” encerra.

Já para o Designer de 23 anos, Matheus Vieira, mais uma dessa ele não aguenta: “Haja coração mesmo heim! Que a seleção não teve uma atuação brilhante, todo mundo sabe, aliás, e todo mundo ainda faz questão de falar – ‘’Fulano não ta jogando nada, sicrano errou pênalti, etc’’. Só não vi ainda o reconhecimento do grande time que enfrentamos: uma das melhores seleções chilenas das últimas copas” relata.

Matheus ainda salienta que o próprio Felipão na época do sorteio dos grupos disse que era o adversário

Matheus Vieira, Designer, 23 anos.

Matheus Vieira, Designer, 23 anos.

que não queria pegar nas oitavas. “Pegamos e passamos! Que venha a Colômbia agora! Com a sorte de uma bola no travessão que não entra, com a sorte de um goleiro espetacular, com a sorte de estarmos na nossa casa com a nossa torcida, com a sorte de um futuro campeão! Quem sabe” finaliza.

E você, o que achou da partida de ontem? O que espera para as quartas de final contra a Colômbia que tem feito uma boa copa?

 

ENTRE NA REDE FATO!