Polícia Civil realiza Operação Banco Imobiliário II
Ivan (24) e Jhony (21) foram encaminhados ao Presídio de Ubá. Foto: PCMG.

Ivan (24) e Jhony (21) foram encaminhados ao Presídio de Ubá. Foto: PCMG.

Em junho deste ano, a Policia Civil realizou a Operação Banco Imobiliário. Dando continuidade às investigações, na data de ontem, 15 de outubro, a equipe da Delegacia Especializada Antidrogas e Inteligência seguiu Ivan Junior Santos Silva, 24 anos, até a cidade de Juiz de Fora, local que se encontrou com Jhony Martins Coelho de 21 anos.

46e73dbcb060e384770fd215aad7202c

Em entrevista preliminar os suspeitos confessaram que repassaram a nota falsa para o taxista visando comprovar a qualidade das notas falsas. Foto: PCMG

Durante o monitoramento dos indivíduos, a Dr. Rafael Gomes de Oliveira, Delegado responsável pelo caso, relatou que ambos embarcaram em um táxi, nas proximidades do calçadão da rua Halfeld, descendo quase em seguida, fato que intrigou os policiais civis.

“Quando Ivan e Jhony voltavam para o calçadão, onde Jhony utilizava um escritório como fachada para seus negócios escusos, no coração da cidade,  foram abordados pelos policiais sendo encontrado com Jhony três notas falsas de R$50,00 e dentro do escritório mais de R$5.000,00 em notas falsas” relata o Delegado.

Ele ainda disse que em entrevista preliminar os suspeitos confessaram que repassaram a nota falsa para o taxista visando comprovar a qualidade das notas falsas. Continuando os trabalhos, foram realizadas buscas no apartamento em que Jhony morava, na Floriano Peixoto, e lá encontrados 03 porções de maconha totalizando cerca de 100 gramas da droga, balança de precisão e material para dolagem das drogas.

“Já na cidade de Piraúba os policiais civis encontraram na casa de IVAN a quantia de R$500,00 (quinhentos reais) em notas falsas. A Policia Civil não vai esmorecer até localizar o responsável pela confecção das notas: Com o sucesso das operações totalizamos a apreensão de aproximadamente R$ 20.000,00 em notas falsas e cinco suspeitos presos. Tal crime gera um imensurável prejuízo a comerciantes, profissionais, dentre outras pessoas de bem, razão pela qual não vamos descansar ate localizarmos o responsável pela fabricação das notas falsas”.

Os suspeitos foram encaminhados ao Presidio de Ubá.

 

 

 

 

ENTRE NA REDE FATO!