Tal Pai, Tal Mestre – Por Dr. José de Alencar Ribeiro Neto

Em tempos de celebração do dia dos pais, proponho uma reflexão a respeito dessa figura tão importante para nossa formação como pessoa.

Simbolicamente o pai representa um mestre, honraria destinada aos que nos são referência.  O mestre, por definição, é o indivíduo que adquiriu um conhecimento especializado sobre uma determinada área do conhecimento humano e, com sua grande especialização no assunto, é capaz de dar aulas a pupilos. Nas artes marciais, o mestre é chamado de “sensei” o que literalmente significa: “aquele que veio antes”.  O sensei é um indivíduo de grande conhecimento, um professor detentor da tão almejada faixa-preta, que simboliza dignidade, dedicação, postura e liderança, que são características inerentes a um bom mestre. Por essa razão, o sensei transcende a arte de ensinar, pois, assim como um pai, passa a ser um formador de caráter, exemplo de boas condutas, de respeito, de cidadania, se tornando uma referência. O aluno projeta no sensei expectativas semelhantes às projetadas em um pai, brotando assim uma admiração e profundo respeito, pois uma pessoa é bela, não pela beleza em si, mas pelo reflexo de sua beleza que encanta os olhos dos outros.

No íntimo do ser humano é indissolúvel a relação entre os mestres que nos apresentam a vida, da figura paterna, que é fundamental na nossa infância para a formação de nossa personalidade e de nosso caráter. Do ponto de vista psicanalítico, a participação efetiva do pai na vida de um filho promove segurança, autoestima, independência e estabilidade emocional.

Se me permitem uma experiência pessoal, curiosamente nunca chamei meu pai de mestre, não por demérito, muito pelo contrário, seria uma redundância chamá-lo assim, pois meu pai sempre supriu e superou minhas expectativas, sempre foi minha referência, meu sensei.

Infelizmente nem todas as crianças têm a mesma sorte de ter um bom pai, por diversos fatores sociais e culturais, como violência doméstica, alcoolismo, descaso, abandono, negligência, ou simplesmente por não ter a oportunidade de conhecê-lo.  São jovens carentes de um herói a quem possam admirar e se espelhar.

  E quantas pessoas passam por nossa vida e nos são referência ou que merecem o título de mestres?  Às vezes um familiar, um vizinho, um ídolo do esporte, um grande amigo, ou até alguém distante, mas que nos é importante e que mereça tal honraria.

 Penso que Deus é o maior de todos os senseis, pois nos deu o livre arbítrio de eleger, admirar e seguir quantos mestres quisermos e amá-los à nossa maneira.

Tal pai tal mestre são pessoas que guardaremos para sempre em nossas memórias, pois o que a memória ama fica eterno. Feliz dia dos pais, em especial ao meu querido pai.

ENTRE NA REDE FATO!