Revista Fato

menu Menu

Carnaval de Ubá é sucesso em quesitos organização e segurança e leva mais de 20 mil foliões às ruas

Publicado por: , em 17/02/2020 - Categoria: CIDADE

Tempo de leitura: 4 minutos

Aconteceu neste sábado (15) o desfile de Carnaval das Escolas ubaense na Avenida Nova Beira-Rio. Segundo a organização, o evento levou mais de 20.000 foliões para as ruas em um acontecimento cultural familiar e sadio.

ACADÊMICOS DO CAXANGÁ CONTA A HISTÓRIA DO EX-DEPUTADO IBRAHIM JACOB

Quem abriu os trabalhos foi a Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Caxangá que entregou o tema “Pequeno Grande homem” e homenageou Ibrahim Jacob por todas as obras que enriqueceram a cultura e história ubaense. A alegoria contou sobre a luta do ex-deputado e suas realizações relevantes para a cultura ubaense.

UNIDOS DA PRAÇA GUIDO FAZ HOMENAGEM AO FUNDADOR DA BANDA 22 DE MAIO

A segunda escola a pisar na passarela foi a Unidos da Praça Guido que fez uma detalhada homenagem ao fundador da corporação musical 22 de Maio, Senhor Sebastião Valoz David. A banda que é um diamante da cidade carinho comemora em maio deste ano, 121 anos de história.

UNIDOS DO SÃO DOMINGOS CONTA A HISTÓRIA DA CIDADE CARINHO DESDE SUA FUNDAÇÃO

Logo após, quem marcou presença na avenida foi a Unidos do São Domingos, que focou em contar a história da modernização e industrialização de Ubá desde sua fundação até os tempos atuais.

IMPÉRIO DA VILA TRAZ ATOR INTERPRETANDO GUIDO MARLIÈRE

A penúltima escola, que também contou um pedaço da trajetória da cidade, foi a Império da Vila que fez grande homenagem à cidade de Guidoval com direito à representação de Guido Thomaz Marlière e abordagem da luta da população guidovalense fazendo menções a sua história com fortes enchentes desde os primórdios.

O presidente Jorge Blau Blau explicou que o grupo trouxe quatro carros alegóricos para a avenida “[…] a bateria veio apresentando a Chalana de São Sebastião, grupo que faz parte da trajetória de Guidoval. Tivemos também várias alas: dos imigrantes, das riquezas da cidade e outras que completaram nosso desfile. Homenageamos os moradores e a cidade pela coragem e fibra desse povo que enfrentou uma enchente terrível em 2012 e foi reerguida em tempo recorde com muita luta e determinação principalmente da prefeita Soraia Vieira que também estava presente no evento prestigiando” contou emocionado e completou “o município é um exemplo para todos nós aqui da região”.

UNIDOS DA PRAÇA CEU’S ILUSTRA POVOS NÔMADES

A escola que fechou o desfile com chave de ouro foi a Unidos da Praça Ceu’s, que contou um pouco sobre a cultura de nômades em uma passeata muito bem ilustrada passando pelos povos que caminhavam pelo deserto – como os beduínos e eunucos até os vikings, piratas que saqueavam as cortes e os ciganos.

Lucas Menezes, que ajudou na harmonia e setorização das alegorias, e, assumiu como um dos diretores gerais da escola, vários papéis dentro do projeto, enfatizou esse último. “É interessante ressaltar a história dos ciganos pela riqueza grandiosa que tem a cultura cigana. Muita gente é chamada de cigana hoje em dia mas não sabe o verdadeiro significado histórico desse povo. A questão da humanidade é relevante. Os ciganos carregavam ouro – muitas vezes nos dentes – porque não tinham terras. […] A gente veio falando sobre a história da humanidade desde a descoberta do fogo. Então o desfile veio muito compacto, bonito, luxuoso e com recurso mínimo” comemorou o sucesso.

NÃO HOUVE VOTAÇÃO, MAS REGULAMENTAÇÃO

Em 2020 houve um método de fiscalização e não julgamento das escolas, uma vez que a AESBU (Associação de Escolas de Samba de Ubá) decidiu que não haveria concurso, já que, nesse ano vieram duas escolas novas para o grupo. Foi decidido então que não haveria concurso, mas seria criado um grupo de acesso.

Aurélio Pimenta, produtor cultural do município falou sobre a decisão. “As escolas que quebrassem dois quesitos do regulamento “cairiam” para o grupo de acesso do próximo ano porque, ano que vem virão mais escolas para a avenida. Essas cinco escolas que desfilaram esse ano são parte de um grupo especial das escolas de samba de Ubá”.

Toda a fiscalização foi realizada pela Secretaria de Cultura que o fez juntamente aos presidentes. “Foi feita essa cronometragem para que as escolas se adequassem e, posteriormente, faremos a abertura dos envelopes para saber quais escolas permanecem no grupo especial e quais vão para o grupo de acesso” pontuou o responsável pelos eventos da cidade.

CARNAVAL SEGURO

Segundo a assessoria do 21º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais, para garantir a segurança dos foliões e famílias presentes no evento, foi realizado um contato prévio com os organizadores.

Nesse encontro ficou definido o percurso de desfile ou local do evento, a quantidade prevista de público, o horário de início e término, a quantidade de palcos ou estruturas físicas de apoio.

Também foi estabelecida as quantidades de carros de apoio ou alegóricos, postos médicos dedicados ao evento e ambulâncias disponibilizadas além do número de seguranças.

Essas medidas foram essenciais para o melhor direcionamento do Policiamento, o que evitou o acontecimento to de quaisquer ocorrências policiais no local.