Revista Fato

menu Menu

Clareamento Dental: tire suas dúvidas

Publicado por: , em 04/05/2020 - Categoria: COLUNAS

Tempo de leitura: 3 minutos

O clareamento dental é um dos procedimentos estéticos mais procurados em clínicas odontológicas em todo país. Embora apresente uma popularidade, esse método também gera dúvidas sobre os cuidados necessários e como ele age nos dentes. Pensando nisso, buscamos esclarecer as principais perguntas sobre o assunto, confira:

1- Para que serve e como é feito o clareamento dental?

Por diversas razões, como a alimentação, trauma e aspecto genéticos, os dentes podem ficar amarelados ou escurecidos, o que gera um incômodo estético para a maioria das pessoas. Mas a boa notícia é que é possível deixar os dentes mais brancos com um procedimento não invasivo (sem desgaste da estrutura dental) e com excelente resultado!

O clareamento dental consiste em eliminar os pigmentos que escurecem os dentes.  Ele é feito com o aplicação de um gel clareador na superfície dos dentes, a base de peróxido de hidrogênio ou peróxido de carbamida,  que vai quebrar as moléculas de pigmento presentes na dentina (tecido responsável pela coloração dos dentes), gerando o efeito de branqueamento.

2- Qualquer pessoa pode fazer esse procedimento?  Existe alguma contraindicação?

Antes e depois de um clareamento dental

 Mas antes da realização do clareamento SEMPRE é necessário uma avaliação individualizada O tratamento não é indicado para gestantes e lactantes; pessoas com problemas bucais como cáries, gengivite, periodontite, fraturas dentárias; ou doenças que afetam o desenvolvimento dentário como amelogênese ou dentinogênese e pessoas com hipersensibilidade dental.

3- Em que casos é mais indicado fazer o clareamento?

Casos onde o incômodo estético é apenas a cor do dente!

Importante ressaltar que o clareamento não consegue modificar a cor de restaurações já existentes. Nesses casos, é necessário a troca dessas restaurações após o término do tratamento clareador para se ter um melhor resultado estético.

4- É comum acontecer a sensibilidade dentária após o clareamento? Se sim, é possível prevenir contra esse problema?

É normal a sensibilidade durante e após o clareamento. Mas essa sensibilidade é temporária.

Em casos de sensibilidade exagerada, existem tratamentos dessensibilizantes com pastas de dente específicas ou produtos aplicados no consultório pelo profissional.

5- Quais os principais tipos de clareamento?  E qual é o mais indicado?

Clareamento caseiro (feito em casa com uso de moldeira de silicone e gel clareador, sob supervisão do cirurgião dentista)

Clareamento de consultório (aplicação do gel clareador pelo cirurgião dentista, no consultório, podendo ou não ter aplicação de luz)

Clareamento combinado (associação da técnica de clareamento caseiro com a técnica de consultório).

Para cada caso existe uma técnica mais indicada! Só é possível indicar mediante avaliação. Vai depender da colaboração do paciente, se há ou não presença de recessões gengivais, se já existe algum tipo de sensibilidade, dentre outras.

6- Existe um limite adequado de sessões de clareamento? Dependendo da quantidade, ele pode afetar a saúde bucal?

Sim. Clareamento caseiro geralmente é de três a quatro semanas de uso diário do produto. Clareamento de consultório até três sessões, com intervalo de uma semana entre elas.

Clareamento em excesso e sem acompanhamento de um profissional capacitado pode gerar muitos danos!

7-  Quais os principais cuidados que o paciente deve estar atento durante o procedimento?

Adequada higiene bucal, com escovação e fio dental); Seguir rigorosamente as orientações do profissional quanto a quantidade de gel aplicado na molheira e tempo de uso; Seguir o intervalo correto entre as sessões do clareamento de consultório; Evitar fumar; Estudos recentes mostram que não há interferência dos alimentos/bebidas com corante na eficácia do tratamento.

8 – Qual a longevidade de um clareamento dental?

Também é individualizado. Vai depender principalmente da higienização do paciente, profilaxia (limpeza) a cada seis meses no consultório, alimentação e tabagismo. Mas geralmente de um a três anos, sendo aconselhado um retoque do tratamento após esse período para manter o efeito sempre em dia!

Dica importante: não usar pasta de dente que promete ação clareadora!

Essas pastas são muito abrasivas, vão promover um desgaste do esmalte do dente, promovendo um sensação de clareamento! Mas a longo prazo, causa danos irreversíveis na estrutura do dente!

Dr.ª Daíra Barros Saraiva

Graduação em Odontologia pela Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora - Suprema em 2010; Especialista em Ortodontia; Pós graduação em Harmonização Orofacial; Pós graduação em Cirurgia Oral Menor.