Revista Fato

menu Menu

Dormir sem remédios

Veja algumas dicas que podem ajudar você

Publicado por: , em 22/07/2020 - Categoria: COLUNAS

Tempo de leitura: 2 minutos

A insônia é uma queixa médica frequente, muitas vezes mal diagnosticada e mal conduzida, levando à consequências sérias para a saúde e para a qualidade de vida. Por vezes, o próprio paciente não busca auxílio médico e se automedica por longos períodos.

A insônia crônica, essencialmente, parte de uma situação aguda que provoca um prejuízo no sono (uma doença, uma perda de uma pessoa querida, um problema financeiro…),não sendo tratada imediatamente, se perpetua a partir de maus hábitos já praticados anteriormente, e se fortalece a partir de associações ruins que o paciente começa a ter em relação ao seu sono. A ansiedade e o medo, por exemplo, de não conseguir dormir, podem ser fatores que atrapalham ainda mais esse indivíduo à iniciar o sono ou manter-se nele.

Veja algumas orientações que podem ajudar você a ter uma rotina mais saudável para seu sono e ajuste do relógio biológico:
  • Manter horários regulares para ir para a cama e se levantar (inclusive aos finais de semana);
  • Faça do quarto um ambiente limpo, organizado, silencioso e propício para relaxar e dormir;
  • Tomar banho morno cerca de duas horas antes de ir se deitar;
  • Evite alimentação pesada pelo menos três horas antes de se deitar. Próximo ao horário de dormir, um lanche leve, inclusive com carboidrato pode ajudar à pegar no sono;
  • Exercícios físicos devem ser realizados de preferência no período matinal;
  • Procurar exposição solar logo após se levantar e no final da tarde;
  • Evite excesso de líquidos no período da noite;
  • Evitar cafeína após as 18 horas (café, refrigerantes, chás, chocolate);
  • Evitar fumar e consumir bebida alcoólicas após as 18 horas;
  • Evitar cochilos longos acima de 40 min durante o dia;
  • Não se alimentar, não ler, não trabalhar e não assistir à TV na cama.

Entenda que essas dicas melhoram sua rotina e dificultam que noites mal dormidas por situações isoladas tornem-se frequentes. Entretanto, sabemos que pode ser necessário algum tipo de tratamento associado, medicamentoso ou não, já no início do quadro. Por isso é importante procurar um atendimento médico, caso você comece a passar por noites seguidas sem conseguir dormir, e então avaliar o melhor tipo de tratamento.

Marcela Machado Parma

Graduação em Medicina pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro; Residência Médica em Otorrinolaringologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro; Título de especialista em Otorrinolaringologia pela AMB; Residência Médica em Medicina do Sono pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro; Mestrado Profissional em Medicina pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.