Revista Fato

menu Menu

O primeiro dentinho chegou, e agora?

Publicado por: , em 13/02/2020 - Categoria: COLUNAS

Tempo de leitura: 1 minuto

A irrupção dos dentes de leite no bebê pode gerar desconfortos como febre, irritabilidade, dores de barriga e salivação excessiva; processos fisiológicos que, em alguns casos, chegam a modificar a rotina da casa sendo necessária a intervenção odontopediátrica.

Dessa forma, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Associação Americana de Odontopediatria recomendam a primeira consulta do neném com um odontopediatra – profissional indicado para dar as devidas orientações sobre prevenção odontológica na primeira infância – aos seis meses, período de nascimento do dentinho “primogênito”.

Esse dente, que corresponde ao inciso central inferior, é sucedido pelos laterais inferiores juntamente com os centrais superiores aos oito meses, já os laterais superiores têm a irrupção aos nove meses. Com um aninho nasce o primeiro molar inferior, com 14 meses o superior, os caninos inferiores por volta dos 16 meses e o superior aos 18, finalizando a dentição com o segundo molar decíduo inferior aos 20 meses e o superior com dois anos. Entretanto, vale lembrar que pequenos atrasos ou antecipações são considerados normais, visto que tais prazos são apenas uma média.

Imagem: Odonto System

Sendo assim, agora que já temos ideia de quando os dentes começam a aparecer, acho de extrema importância sabermos em que momento eles se formam. O início de tudo ocorre ainda dentro da barriga da mãe, no quarto mês de vida intrauterina, por isso é imprescindível que a gestante faça o pré-natal odontológico para ser orientada e cuidada no sentido de evitar problemas na dentição do bebê, afinal a prevenção é sempre o melhor caminho.

Drª. Mariane Vaz de Melo

Graduada em odontologia pela Estácio de Sá; Pós graduada em odontopediatria pela São Leopoldo; Pós graduada em hipnose clínica pelo instituto brasileiro de hipnose; Atualização em laser de baixa potência.