Patriotismo Brasileiro

Michel Pires – Diretor da Modecor; Vice-presidente do Intersind.

A seleção Brasileira de Futebol Masculina foi eliminada da Copa do Mundo da Rússia 2018, perdeu o jogo por 2×1 para a Bélgica nas quartas de final e voltou para casa. O curioso é que de quatro em quatro anosas pessoas vestem a camisa do país, ornamentamas casas, colocam bandeiras nos carros, pintam a cara e enfeitam as ruas, mas basta perder um jogo que a maioria do povo arranca as bandeiras, guarda as camisas e tira tudo que possa lembrar que se é brasileiro. Entretanto, essas pessoas são brasileiras ou apenas estavam torcendo pra seleção? Vi gente rasgando bandeiras em total desrespeito a Nação. Na porta da minha empresa tenho uma bandeira do Brasil hasteada há mais de 15 anos, e não é porque perdemos a Copa que vou tirá-la. Sou brasileiro, mineiro e tocantinense-ubaense, nasci em Ubá, moro em Tocantins e tenho orgulho disso, sempre defendo as duas cidades, mostrando os pontos positivos de cada uma.

Quando viajo para o exterior, principalmente para países da África ou para o lado Oriental, sempre uso camisas do Brasil. Não é surpresa voltar de lá sem as blusas, pois fornecedores e clientes costumam pedir de presente, eles adoram o Brasil e eu gosto de presentear, pois assim se cria além de laços comerciais, laços de amizade. Mas o engraçado é que quando uso camisas do Brasil nos EUA ou na Europa, onde se tem uma concentração maior de brasileiros, sofremos preconceitos, até mesmo por parte do nosso próprio povo, sempre tem uma piada de mau gosto, difícil entender o que se passa na cabeça da nossa gente.

Por aqui fazem diferente do restante do mundo onde a bandeira de uma nação é respeitada e valorizada, quem já foi para os EUA pode ver isso, a maioria das casas tem bandeiras, cores, pinturas, tudo enaltecendo o país, o povo é Patriota.

Sei que temos poucos motivos de orgulho por aqui, não sendo nos dias de jogos da Seleção Brasileira de Futebol, que é a maior campeã de todas, porque teríamos orgulho em ter uma bandeira em nossa casa ou empresa? Orgulho da justiça? Saúde? Política? Segurança? Ética? Educação? Desenvolvimento? Infraestrutura? Orgulho de que nessas circunstâncias?

De vez em quando vemos na TV milhares de pessoas pelo mundo indo às ruas para saudar alguém de seu país, um casamento de príncipe como foi recentemente a união de Harry e Meghan, o povo nas ruas chorando, ficando dias para poder pegar os melhores locais, pois são filhos e netos de reis que estão casando, que têm ética, que comandam o país, retornando a sociedade parte dos impostos pagos em qualidade de vida, são heróis para aquela nação.

Infelizmente por aqui nos faltamheróis, então tentamos maquiar alguns e fazer deles, nem que seja por pouco tempo, nossos campeões do momento, que ao menor sinal de fraqueza, saem de cena, indode heróis a vilões em poucos minutos. Logo após a queda, voltamos a nossa realidade, voltamos a ver que a economia está lenta, dólar subindo, a moeda se desvalorizando, nossos servidores estaduais e federais recebendo os salários a conta gotas e sabendo que pode piorar a forma de pagamento. Nossa saúde precária, escolas deficitárias, segurança a cada dia mais precária, pois a lei permite que bandidos fiquem soltos, rodovias em péssimo estado de conservação, além de muitos outros problemas, mas o pior deles é a corrupçãoque nos deixa revoltados, aborrecidos e desestimulados a tentar mudar qualquer coisa.

Como pode milhões de pessoas pararem de trabalhar, ir para as ruas e combinar com amigos para torcer para a Seleção Brasileira de Futebol, mas não ir as ruas para exigir um basta de tanta roubalheira? Como o governo pode atrasar pagamentos e outros repasses de dinheiro a servidores, hospitais, escolas e muitos outros, sendo que os salários de políticos, assessores e afins são pagos regularmente e a cada dia se aumenta tanto o número de servidores quanto o salário de cada um.

Realmente o total de camisas e bandeiras que vemos por aqui, sem ser em dias de Copa, são de bandeiras de outros países, pois usar a bandeira brasileira, não seria bem visto pelo mundo. Vou continuar hasteando a bandeira do Brasil na porta de minha empresa, usando uniformes com o nosso símbolo e afins, pois acredito que podemos mudar, porém, temos de começar pelas urnas. Faltam poucos meses para a eleição e lá você pode fazer a diferença, vamos vestir a camisa, balançar as bandeiras que muitos guardaram, vamos debater assim como fizemos na Copa, nos reunir, conversar e achar o melhor candidato. Vamos votar consciente, vamos fazer um país diferente, vamos ser campeões nesta eleição, pois só assim iremos daqui uns anos, ver que nossos filhos e netos vão usar camisas e ícones do Brasil, mesmo não sendo época de Copa do Mundo, pois nossos heróis estarão nos representando a cada dia no poder das cidades, estados e no comando da nação verde e amarela.

ENTRE NA REDE FATO!