Revista Fato

menu Menu

Plantas para interiores na Decoração

Publicado por: , em 05/03/2021 - Categoria: COLUNAS

Tempo de leitura: 4 minutos

Foto: Arquivo Pessoal

A pandemia fez com que muitas pessoas voltassem os olhares para o lar e buscassem reforçar a conexão com a natureza. Neste processo, as plantas ganharam um papel ainda mais importante dentro das casas e se tornaram queridinhas de muitas pessoas, seja para a decoração, melhorar a qualidade do ar ou simplesmente o desejo de tornar o lar mais verde.

As plantas para cultivar dentro de casa devem ser espécies que se adaptam aos ambientes com sombra ou meia sombra. Você pode colocar plantas ornamentais em todos os cômodos da sua casa, respeitando apenas as necessidades básicas como regas, adubação e iluminação.

Existem algumas espécies que são propicias para ficarem dentro de casa, sem sofrer danos caso não sejam cuidadas diariamente. Isso é muito bom, principalmente para quem não tem muito tempo.

Samambaia

Foto: Arquivo Pessoal

As samambaias possuem coloração verde-clara e folhas longas. O recomendado é cultivá-la à meia-sombra, mas ela também pode receber iluminação difusa, que nada mais é do que um raio artificial suave. Além disso, é importante mencionar que o vento é um dos inimigos da samambaia, já que pode queimar as folhas mais novas. O ideal é mantê-la em um vaso pendente ou em um ponto mais alto da casa, como em prateleiras, por exemplo.

Foto: Arquivo Pessoal

Suculenta

As suculentas são aquelas plantas que apresentam raiz, talo ou folhas engrossadas — fator que permite armazenamento de água por longos períodos. É importante que elas recebam no mínimo quatro horas de luz natural por dia para que se mantenham saudáveis. Elas são bem fáceis de cuidar e costumam dar sinais do que precisam:

  • Caso as folhas comecem a murchar: aumente um pouco a quantidade de água no momento da regagem, que pode ser feita semanalmente;
  • Caso as folhas comecem a apodrecer: diminua a quantidade de água
  • Caso as folhas começam a cair muito: garanta que elas recebem mais luz por dia.

Lança-de-São-Jorge

Foto: Arquivo Pessoal

As folhas são verticais e rígidas, e podem ser mantidas à meia-sombra. Uma de suas principais características é a resistência, inclusive em ambientes que possuem ar-condicionado. Além disso, ela demanda pouca água, por isso, a regagem semanal durante os dias quentes é suficiente. Nos períodos de temperaturas amenas, os intervalos entre as regagens pode aumentar para dez dias.

Foto: Arquivo Pessoal

Cacto

Se você costuma passar muito tempo fora de casa e sabe que não vai ter muito tempo para cuidar das plantas, o cacto pode ser a sua melhor escolha. Ele gosta de pouquíssima água e muito sol, por isso, posicione-o o mais próximo da janela possível.

 

Foto: Arquivo Pessoal

Clorofito

O Clorofito é uma planta de fácil cultivo, e pouco exigente em manutenção, sendo bastante comum seu plantio em cestas suspensas, vasos e jardineiras. Adapta-se muito bem a interiores, tolerando inclusive o ar-condicionado e eventuais períodos de seca. Devem ser cultivadas a meia-sombra, com regas regulares.

Foto:Arquivo Pessoal

Jiboia

Resistente, fácil de cuidar e versátil, podem ser cultivada de forma pendente ou dispor de um apoio para crescer como uma trepadeira.Não precisa de luz solar direta nem de muita água. Mas em ambiente escuro, a sua variegação diminui, ou seja, suas folhas apresentam uma coloração bem escura. Mas tome cuidado, pois é uma planta tóxica e deve ser mantida longe de crianças e animais domésticos.

Costela de adão

Foto: Arquivo Pessoal

Apesar de frutífera, suas folhas são tóxicas e devem ser mantidas longe de crianças e animais domésticos. Como não precisa de luz direta, você pode usá-la para decorar os cantinhos da casa e dar um toque de natureza nos cômodos.

Foto:Arquivo Pessoal

Ráfia

É uma planta de grande beleza ornamental, fácil cultivo e que se desenvolve bem em locais fechados. Prefere ser cultivada na meia-sombra, mas tolera tanto locais com sol pleno ou sombra. Em interiores, deve ficar em espaços bem iluminados.

Regagem ao menos uma vez por semana e, caso necessário, com maior frequência nos meses mais quentes do ano. É uma planta que adora receber água borrifada em suas folhas. Não tolera encharcamento, por isso, verifique sempre o solo antes de regar. Não é exigente com relação aos nutrientes do solo, sendo necessária fazer uma adubação anualmente, de preferência na primavera, com fertilizante e húmus de minhoca.

Foto: Arquivo Pessoal

Dinheiro-em-penca

Dinheiro-em-penca, também conhecida como Tostão, é de fácil manutenção, barata e muito simples de se fazer mudas. Muito utilizada como forração, suas folhas miúdas podem ser verde claro ou avermelhadas, dependendo da quantidade de luz a que são expostas. Não é muito resistente ao sol forte, pois ele pode queimar suas folhas sendo preferível a meia-sombra. Além de lindo, o dinheiro em penca atrai prosperidade, de acordo com o Feng Shui, e é bastante utilizado em simpatias.

A plantinha também pode ser cultivada em vasos suspensos, pois seus ramos pendentes são uma bela decoração em ambientes internos. Mas, é importante lembrar: evite salas com ar-condicionado, pois a planta também não é muito resistente ao frio.

Zamioculca

Foto: Arquivo Pessoal

Conhecida pela sua folhagem ornamental com tons verdes reluzentes, a zamioculca é  altamente resistente e sobrevive a longos períodos sem água. A indicação é que ele seja regado de 2 a 3 vezes por semana em dias quentes e uma vez por semana nos dias mais frios.

O mais legal é que elas não necessitam de adubação química e a reposição deve ser feita a cada 3 ou 4 meses, conferindo que estejam sempre saudáveis e nutridas.

Por se tratar de uma espécie tóxica, é indicada para usar em escritórios ou ambientes que não possuem fluxo de crianças e animais.

 

Danielle Filgueiras

Designer de Interiores, Designer de Produtos e Engenheira Civil