Revista Fato

menu Menu

Porcelanatos: tipos e usos

Publicado por: , em 18/06/2020 - Categoria: ARQUITETURA E DESIGN

Tempo de leitura: 2 minutos

Quando falamos em construir ou reformar, pensar em cada detalhe é fundamental para um resultado satisfatório. A escolha correta dos revestimentos é um destes detalhes primordiais, pois além de influenciar na estética, fazem parte da funcionalidade como limpeza, manutenção e até mesmo conforto térmico e acústico.

Atualmente as opções que temos no mercado são inúmeras e existem revestimentos apropriados para cada ambiente. Por exemplo, é ambiente interno ou externo? Precisa ser resistente a umidade ou antiderrapante? Qual a função e estilo que quero para o meu ambiente?

Podemos começar separando uma casa, por exemplo, em áreas. Geralmente ela é formada por área íntima (que inclui os quartos), área social (a sala de estar e jantar e os corredores de acesso às áreas íntimas) e áreas molhadas (cozinhas, banheiros e áreas de serviço). Cada uma destas áreas deve receber um tipo de revestimento específico:

Dos laminados, vinílicos, cerâmicas a materiais naturais, atualmente os porcelanatos tem se destacado no cenário dos revestimentos visto sua versatilidade e resistência, além de oferecer uma variedade enorme de tamanhos, texturas e cores. Por isto, vamos falar um pouco mais sobre eles.

O porcelanato é um tipo de revestimento cerâmico com baixa absorção de água (em média 0,5%). Ele é caracterizado pela sua forma de produção, que pode incluir misturas com argila, areias, caulins e aditivos, quando o fabricante julgar necessário.

Para cada tipo de área temos um tipo de porcelanato específico.

Porcelanato técnico

Conhecido como “Todo Massa”, é aquele que não recebe esmalte na superfície. Ele também tem menos absorção de água, de até 0,1%. Ideal para áreas com alto tráfego de pessoas, por exemplo áreas comerciais, garagens, escada, entre outras.

Porcelanato Esmaltado

São os que recebem uma camada de esmalte por cima da massa com a estampa desejada. A indicação técnica para o seu uso é obtida através da superfície, que pode ser lisa ou áspera, brilhante ou mate, e o PEI (resistência do esmalte do porcelanato) Quanto maior o PEI mais resistente é o esmalte do porcelanato.

TEXTURAS E ACABAMENTOS DOS PORCELANATOS

Dos porcelanatos que imitam madeira, mármores, granitos aos com efeito 3D temos uma infinidade de possibilidade para trabalhar. Além disto, os porcelanatos retificados oferecem um  nível elevado de precisão no corte em que as bordas ficam retas diminuindo consideravelmente o tamanho das juntas (junta mínima) e facilitando consequentemente na limpeza.

Existem diversos acabamentos como os polidos onde as peças recebem um polimento e uma camada impermeabilizante. Com superfície mais lisa e brilho intenso, são mais indicados para ambientes secos da casa como salas, corredores e quartos.

 

Gabriele Barros

Gabriele Barros é Arquiteta e Urbanista pela Universidade Federal de Viçosa (2009); Possui Mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Viçosa (2012); Atualmente atende em seu escritório Gabriele Barros Arquitetura & Interiores